INCÊNDIOS FLORESTAIS: O conhecimento, a gestão e o combateMesa redonda e debate


INTRODUÇÃO

O ano de 2017 foi muito cedo e muito profundamente marcado pelos temas florestais. Os dramáticos incêndios rurais a que o País assistiu, de que não há memória, pela dimensão e pela perda de vidas humanas mobilizaram os Portugueses e dominaram a agenda e as preocupações de todos os que vivem da e na floresta. A essas perdas inestimáveis há naturalmente que acrescentar as perdas dos empresários do sector florestal, das indústrias, das habitações, dos postos de trabalho e toda a valorização futura dos espaços rurais. A vaga de incêndios realimentou e trouxe de novo à discussão o conjunto de equívocos e argumentos ignorantes e enganosos sobre o eucalipto e sobre o papel da Indústria Papeleira nos incêndios florestais.

Desde o final dos anos 80 que as empresas de pasta e papel que gerem património florestal  próprio ou arrendado, têm estimulado e apoiado as melhorias no dispositivo de prevenção e combate a incêndios florestais, através do seu exemplo operacional ou participando em grupos de trabalho, como o da COTEC, ou em estudos e projectos de iniciativa governamental de maior profundidade como o PNDFCI.

Criar uma economia de prevenção (que estimule a gestão activa e profissional da floresta, como a sua  limpeza, a remoção de biomassa seca, potenciadora da propagação do fogo, a abertura de acessos, de estradas divisionais, de pontos de água, etc, que gera emprego) é essencial para que os esforços de detecção e supressão sejam bem sucedidos.

Conhecer os fenómenos associados aos mecanismos de ignição e propagação dos fogos, às dinâmicas da sua evolução, aos métodos  eficazes para o seu combate, à disposição adequada dos meios é matéria de ciência e de investigação.

Desfazer o continuado equívoco entre o combate aos fogos florestais, de facto, melhor qualificados de fogos rurais – tarefa para os sapadores florestais – e a defesa de pessoas e bens – tarefa para os bombeiros e para a protecção civil – é imperativo!


Intervenção conjunta Bombeiros e AFOCELCA


CURRICULOS
 
Domingos Xavier Viegas é professor catedrático do Departamento de Engenharia Mecânica da Universidade de Coimbra. Desde 1985 é investigador na temática dos incêndios florestais, tendo participado em mais de uma centena de projetos e contratos de investigação e produzido cerca de duas centenas de publicações nos temas de gestão dos incêndios, comportamento do fogo e segurança pessoal.

José Vasques é Licenciado em Engenharia Florestal pela UTAD, com pós-graduação em Gestão pela Nova SBE e Gestão de Projectos pela Católica LSBE. Iniciou a actividade profissional, em 2002, no instituto RAIZ, na área de Consultoria Florestal. Desempenha funções na área da prevenção e combate a incêndios florestais desde 2007, sendo actualmente Coordenador da Região Vale do Tejo da Navigator Company, com responsabilidade na gestão de 29.000ha de área florestal.

Carlos Vieira é Director Geral da CELPA, Associação da Indústria Papeleira. Ao longo de um percurso de quase 40 anos na Indústria Papeleira, desempenhou funções de gestão na Fapajal  (Fábrica de Papel do Tojal) , na Inapa (Indústria Nacional de Papéis) e, nos últimos 30 anos, na agora designada The Navigator Company. Dez dos quais como Director do Complexo Industrial na Figueira da Foz. Foi membro da direcção do RAIZ, Instituto de Investigação da Floresta e Papel e Presidente do Conselho Diretivo da Tecnicelpa.
 
Moderador: Pedro Matos Silva - Presidente do Conselho Diretivo da Tecnicelpa
 
DESTINATÁRIOS
 
Todos os sócios e não sócios da Tecnicelpa, com interesse em esclarecer equívocos e falsos argumentos sobre a floresta de eucalipto e o papel da indústria papeleira nos incêndios florestais 
 

PROGRAMA

14:30 Reunião da Comissão Científica da TECNICELPA (Exclusivo para membros da Comissão Científica convidados)

15:45 Receção e registo dos inscritos para a Mesa Redonda e debate

16:00 Mesa Redonda e debate com Domingos Xavier Viegas, José Vasques e Carlos Vieira, moderado pelo Presidente da Tecnicelpa Pedro Matos Silva (aberto ao público em geral, desde que atempadamente inscrito)

  • Tema: INCÊNDIOS FLORESTAIS: O conhecimento, a gestão e o combate

17:30 Assembleia Geral da TECNICELPA (Exclusivo para sócios da Tecnicelpa)

19:30 Jantar convívio (Exclusivo para sócios da Tecnicelpa inscritos)


COORDENAÇÃO

R. Amorim Rosa, 38– 1º dto
2300-450 TOMAR

Telf/fax 249 324 858
Telem: 919 373 636
E-mail: info@tecnicelpa.com



DADOS DO EVENTO

Data:
24 de março 2018

Horários:
entre as 16:00 e as 17:30

Local de realização da ação:
Quinta da Gracinda Mateus

Rua da Escola Primária, nº 96
Valdonas
2300-608 TOMAR

telf: 249 310 290

COORDENADAS GPS:
Latitude: 39º36'02'' N - Longitude: 8º22'33'' W

Ver no Google Maps

Prazo limite inscrição:
20 de março 2018



INSCRIÇÃO
Inscrições Online: Formulário

INSCRIÇÃO on-line gratuita, mas sujeita a registo prévio obrigatório
(até dia 20 de março)

Acesso livre à mesa redonda e debate a sócios e não sócios da Tecnicelpa.

Restantes atividades são de acesso exclusivo a membros, conforme indicado no programa.

 



Quinta da Gracinda Mateus - Tomar


TECNICELPA - Desde 1980 a contribuir para a valorização técnica dos seus associados.


powered by OTUOC